A vida do Davi 3 – O mundo em outras línguas

O artista dos números e letras

As primeiras palavras lidas Com dois anos e dois meses, Davi começou a ler palavras, na íntegra, com segurança. A partir daí, foi testado constantemente: após digitar-se palavras no computador – vinte e duas palavras, no primeiro teste -, Davi lançou seu olhar e as leu com desenvoltura. Em seguida, números estampados na tela com […]

Vida do Davi 2 – No início era o verbo e os números

Os passos ainda eram cambaleantes. Suas perninhas roliças não sustentavam, com força, seu corpinho rechonchudo. A partir de um ano e meio é que ganhou a liberdade de não se apoiar em objetos para avançar passo a passo. A articulação de palavras com nitidez também não avançava célere: parece que aguardava a hora para poder […]

Vida do Davi II – O mundo aparecendo

Os primeiros dois anos: Davi engordava pouco, embora comesse muito. Atento a tudo, vivia tentando discernir aquele mundo fosco, leitoso que ainda se apresentava a ele. Não havia ali uma realidade nítida a se materializar nas retinas em formação. Tudo era sombra, vultos, movimentos. A compleição das pessoas que o cercava ainda não tinha limites […]

A vida do Davi – parte 1

Foi de repente, um susto. Ela estava em pé quando tudo aconteceu. O estranhamento de uma mãe atônita logo ganhou forma em sua face interrogativa: era ele a rebentar naquela manhã azul julina um pouco antes do tempo? Corre-corre. No carro, Chico a nos dizer: “Quando, seu moço, nasceu meu rebento. Não era o momento […]

Dom Casmurro: um romance pra ler e reler

“E bem, qualquer que seja a solução, uma coisa fica, e é a suma das sumas, ou o resto dos restos, a saber, que a minha primeira amiga e o meu maior amigo, tão extremosos ambos e tão queridos também, quis o destino que acabassem juntando-se e enganando-me… A terra lhes seja leve! Vamos à […]

O Nego Bispo e sua gramática particular

Nego Bispo era um intelectual piauiense. Dono de uma gramática própria, capaz de articular neologismos criados com a força de uma ideia ancestral, o intelectual piauiense foi radical à sua maneira. Digamos: uma doce radical. Sua força estava exatamente em radicalizar uma ideia que era revolucionária: reescrever a história de seus antepassados, e incomodar os […]

Os brasis de Petronílio

O acesso é de chão batido e de cor pardacenta. Em volta, carrapichos e “unhas-de-gato”. A visão que se apresenta após uma breve viagem do centro de São Raimundo Nonato à localidade Baixão da Guiomar, na periferia da cidade, é o retrato do “Brasil Real”, em oposição ao “Brasil Oficial”. Quando os casebres se entremostram […]